Connect with us
mulher maravilha mulher maravilha

Meios de Pagamento

As 5 mulheres mais influentes do mercado de pagamentos no mundo

Published

on

Não é novidade que as mulheres têm influenciado esse mercado de pagamentos!

Se antes elas não tinham a admiração e todos os holofotes ao redor delas, agora as mulheres ganharam seu espaço e são reconhecidas em todo o mundo! Por incrível que pareça, por mais que as mulheres seja menores em números em empresas de tecnologia, em empresas do segmento financeiro elas arrebentam.

Se você é empresária e empreendedora vai adorar ler este artigo, já se for homem, se impressionará no potencial dessas mulheres poderosas!

1. Reetika Grewal – Silicon Valley Bank

Reetika-Grewal

Reetika Grewal, a cabeça de SVB (Silicon Valley Bank) é especialista em estratégia e soluções de pagamentos, trabalha com a MasterCard para liderar um programa acelerador, chamado de Comércio Inovador, que liga todos os maiores especialistas da área para estarem engajados a desenvolverem trabalhos diferenciados, para o Vale do Silício, no propósito de mudar o curso da tecnologia.

“O sistema de pagamentos tecnológicos, vai evoluir muito rápido”, afirma Grewal.

Os pagamentos são agora a chave – para uma experiência de consumo sem limites, em um mundo digital que está repleto de oportunidades, reforça Grewal.

Grewal gosta de trabalhar com sistemas de pagamentos por causa da complexidade da categoria e da evolução rápida do mesmo. Mas isso também requer um compromisso com a educação constante no setor, para manter-se atualizada numa indústria que sempre está em mudança.

2. Pamela Joseph, US Bancorp

Pamela-Joseph

Pamela, é vice-presidente do setor de pagamentos de um banco e essa tem sido sua posição por cerca de 10 anos, ela supervisiona a Elavon, subsidiária de processamento do US Bank. Tem sido reconhecida em anos anteriores como uma das mulheres mais influentes em sistemas de pagamentos e é uma das mulheres mais poderosas do American Banker.

Sob a liderança de Joseph, o banco tem sido um dos que têm a crença no desenvolvimento de tecnologias alternativas para pagamentos que são tão variados, como: pagamentos de carros, mesmo sem contato físico, pagamentos por reconhecimento de voz e pelos iPhones.

3. Kara Kazazean – Walmart

Kara-Kazazean

 

A mudança dos EUA para pagamentos com cartão em formato EMV-chip, vai consumir muito da atenção de Kara Kazazean este ano. O Walmart é o maior varejista americano, e isso tem a ver com a atuação da Kara, que está a frente de Crédito, Finanças e Pagamento. Como diretora dessas áreas para o Walmart, Kazazean encontra-se envolvida em uma grande mudança nos hábitos de tecnologia, de segurança e de pagamento do consumidor.

“Embora esta tecnologia não seja nova para o mundo, o formato em EMV será uma experiência muito diferente para os clientes dos EUA”, – Kazazean.

“Isso vai obrigá-los a pensar mais, sobre formatos de pagamentos e como essas experiências irão variar entre diferentes comerciantes e cartões”.

4. Juliette Kennel – Swift

Juliette-Kennel

Com os pagamentos em tempo real ganhando força em todo o mundo, Juliette deve analisar o seu modelo de negócio para fornecer infraestrutura ideal de mercado, para as atualizações tecnológicas e novas concorrências. Juliete é diretora da Swift, uma processadora que se conecta com mais de 10.000 bancos no mundo. Juliette além de principal nome da empresa em parcerias, controla também toda área de marketing. A Swift facilita o intercâmbio internacional de instruções de pagamento entre os bancos, bancos centrais, grandes empresas de valores mobiliários e corporações multinacionais em uma base de 24 horas.

Seu objetivo é apoiar um maior volume de pagamentos, que sejam também mais rápidos.

“A longo prazo, prevemos aproveitar esses recursos para apoiar outras áreas de negócio, gerando economias de escala”, reforça Kennel.

5. Carey Kolaja, PayPal

Carey-Kolaja

Carey Kolaja, inaugurou o provedor alternativo de pagamento em 15 novos mercados no ano passado. Kolaja é vice-presidente de soluções globais dos produtos PayPal, tem defendido os esforços da subsidiária do eBay, trazendo mais de 200 produtos e serviços para países de todo o mundo. Ela e sua equipe são responsáveis ​​por movimentar 25 atividades em mercados domésticos e mais de 193 mercados de comércio entre fronteiras.

Recentemente escolheu um aplicativo de pagamento – baseado em nuvem, para o México, Brasil, Austrália, Japão e Alemanha. Ela também desempenhou um papel fundamental em trazer PayPal para a Rússia, um território que tem sido difícil para os prestadores de serviço, por causa da turbulência política e dos regulamentos dos Estados Unidos. No geral, esta expansão internacional valeu a pena. A receita internacional está crescendo ano a ano em cerca de 17%, disse Kolaja. No quarto trimestre de 2014, os negócios internacionais do PayPal geraram US $ 1,1 bilhão em receitas, disse ela.

Ela é considerada o principal elo entre as startups e o Paypal.

Bônus

6. Cristina Junqueira – Nubank

[caption id="attachment_5324" align="alignnone" width="650"]cristina junqueira nubank Foto: Reprodução Facebook[/caption]

Não dá para não citar a Cristina e seu trabalho a frente do Nubank. No ano passado foi uma das empresas de pagamento que mais captou investimento e de quebra, chacoalharam ainda mais o mercado de cartões brasileiro. Fundos como Sequoia e Kaszek apostaram pesado nessa empresa em 2016.

Cristina é um dos símbolos do empoderamento feminino e é um dos maiores nomes do setor de cartões no país.

7. Marcia Mello – Global Payments Brasil

[caption id="attachment_5326" align="alignnone" width="676"]marcia mello Foto: Reprodução Facebook[/caption]

A Márcia tem uma carreira sólida no mercado de pagamentos no Brasil. Comandou empresas como Cielo, Verifone e Elavon (onde foi diretora comercial). Hoje é a presidente da Global Payments do Brasil. Montou um super time no Brasil (com grande representatividade feminina), para entrar na briga das adquirentes.

Assim como Stone e Bin, a “Global” vem fazendo um trabalho muito bom no segmento de cartões.

Há ainda muitas outras mulheres que estão envolvidas com o mercado de pagamentos em todo mundo, mas lista, é sempre uma lista.

Advertisement
1 Comment

Meios de Pagamento

Plataforma de cobrança recorrente Aria Systems recebe U$30M de investimentos.

Published

on

aria systems

A plataforma de cobrança recorrente americana, Aria Systems, anunciou a rodada de U$30M de investimentos.

O foco da empresa será investir o capital em crescimento forte no próximo ano. Concorrente direta da Zuora, a Aria atende médias e grandes empresas pelo mundo, que usam sua solução para automatizar cobranças.

A empresa, que foi fundada em 2003, na Califórnia, já recebeu cerca de U$150 milhões de investimentos e tem clientes como Experian, Philips, Audi entre outros cases que vendem no modelo de assinaturas.

São fortes no mercado editorial americano, atendendo alguns dos principais grupos de mídia impressa e digital.

Continue Reading

Meios de Pagamento

Fintech Chargify adquire plataforma de reconhecimento de venda

Published

on

chargify

A fintech americana Chargify adquiriu na semana passada a ProRata, uma startup que ajuda em relatórios de reconhecimento de receita e análise de faturamento.

A ProRata, fundada em 2014, em Atlanta, é uma empresa que ajuda na conciliação de receitas provenientes de empresas com modelos recorrentes. Esse é o casamento perfeito para empresas de software no mercado americano, que depois de mudanças na lei de impostos por lá, o reconhecimento e comprovação de receita se tornou grande desafio. Desde 2017, para estarem em acordo com a receita federal americana (IRS), as empresas precisam estar aderentes com as normas ASC 606, que regulamenta a questão fiscal de empresas de tecnologia.

A união das soluções Chargify + ProRata pode ser muito bem comparadas por aqui no Brasil, como cobrança + conciliação dos recebíveis (que sistemas de conciliação fazem).

Continue Reading

Meios de Pagamento

Pagamentos recorrentes vão atingir R$1,8 trilhões em 2021.

Published

on

recorrentes pagamento

Chegou a hora da Economia da Recorrência, segundo relatório de consultoria americana Research and Markets.

O relatório, publicado nessa semana, prevê que as transações recorrentes, processadas em cartões de débito e crédito nos Estados Unidos, atingirão U$ 473 bilhões até 2021. Cerca de R$1,8 trilhões! Uma transação de cartão recorrente é aquela em que as credenciais de pagamento são armazenadas com um comerciante/provedor para uso futuro. Isso existe para permitir pagamentos recorrentes de faturas, facilidade no checkout rápido em um site/app ou pagar por uma assinatura, planos e mensalidades.

O relatório, nomeado de “Mercado Americano de Pagamentos Recorrentes 2017-2021”, prevê uma aceleração nesse tipo de processamento para os próximos anos.

Só a Amazon, processou cerca de U$7 bilhões de cobranças recorrentes do seu Amazon Prime, serviço de assinatura exclusivo da empresa. E isso é um dos principais ativos da empresa, que espera crescer 50% no serviço no próximo ano. Esse tipo de solução de cobrança (também chamado de pagamentos recorrentes) é essencial para serviços como software (SaaS), serviços de streaming, clubes de assinatura e toda empresa que possui um modelo de cobrança recorrente na venda. Apesar do relatório ser um grande instrumento para analisar mercado americano, dá um bom gosto do que podemos ver em outros mercados.

A Economia da Recorrência na mira de Wall Street

No nosso estudo “A economia que transformou empresas como Netflix, Slack, Smartfit e Sem Parar” (clique para ler), fizemos bastante pesquisas para analisar essa realidade das empresas SaaS e assinaturas no mundo e no Brasil. Esse estudo até aqui, é o maior já feito sobre a Economia da Recorrência no mundo.

recorrencias

Relatório da Vindi contempla dados exclusivos de empresas do modelo. (Fonte: Vindi)

O próprio desempenho do IPO do Zuora, deu esse sinal para o mercado. Chegou a hora das recorrentes na bolsa. Docusign, Spotify, Survey Monkey e Dropbox abriram capital nos últimos meses e as ações estão indo muito bem, colocando as recorrentes na mira de Wall Street. Cases como a MoviePass e a Adobe também foram amplamente cobertos pelo relatório.

“Os compradores gostam da conveniência de inserir suas informações de conta apenas uma vez. E os comerciantes apreciam a conectividade que atingem com seus clientes quando transações recorrentes são usadas, assim como o fluxo de caixa consistente, que elas criam nessa modalidade. Da mesma forma, os emissores gostam do volume de transações que as recorrentes criam quando os cartões são usados”, comenta um co-autor do relatório.

Os pagamentos recorrentes on-line ou por celular estão crescendo numa frequência grande e está ficando complexo acompanhar a evolução dos tipos de negócios que estão sendo criados, segundo relatório da Research and Markets.

adobe recorrencia

Adobe é um fenômeno que catapultou os resultados da empresa. (Foto: Livro Recorrência)

Realidades fortes como IOT (internet of things) já usam esse tipo de solução e só tenderá a crescer, mesmo com o impacto grande da GDPR chegando por aí. Compra com um clique também é uma necessidade grande desse tipo de negócio. Grandes varejistas precisarão ter um parceiro importante (PCI Compliance) para viabilizar a melhor experiência do cliente nisso.

Acesse o relatório exclusivo.

recorrencia livro

Continue Reading

featured