Connect with us
maiores fintechs americanas maiores fintechs americanas

Fintechs

Maiores fintechs americanas

Published

on

Já não é de hoje que sabemos que as maiores fintechs americanas estão revolucionando o mercado financeiro. Elas chegaram com tudo oferecendo serviços mais acessíveis aos consumidores, facilitando crédito e melhorando o atendimento. Esses foram só alguns dos feitos que deixaram as fintechs em ascensão.

Nem a pandemia foi capaz de parar o mercado. Pelo contrário, as fintechs estão recebendo investimentos recordes, e com isso existem até fintechs unicórnios, com valuation de US$ 1 bilhão.

Segundo um levantamento feito pela PitchBook, uma empresa que monitora financiamentos privados, os investidores de capital de risco investiram US$ 44,4 bilhões nas maiores fintechs americanas.

Há muitos que acreditam que as fintechs irão tomar o lugar dos bancos tradicionais, já que elas estão oferecendo serviços de conta corrente, hipotecas, seguros, investimentos e até criptomoedas.

Mas quais são as maiores fintechs americanas e o que elas fizeram para conseguir tanto sucesso assim? Continue lendo!

Quais são as maiores fintechs americanas

As maiores fintechs americanas estão em alta no mercado financeiro, e batendo de frente com grandes players. Está curioso para saber quais são? Acompanhe!

Stripe

A Stripe foi fundada em 2011 pelos irmãos irlandeses Patrick e John Collison. Ela é uma fintech que possibilita que empresas e corporações aceitem pagamentos online. Entre seus clientes, há famosos como Google, Amazon, Uber e até mesmo o Twitter.

Seu software se destacou pela agilidade no processamento da venda e pela facilidade na integração de sites.

O primeiro investimento da fintech foi de US $ 2 milhões, feito por Peter Thiel, cofundador do PayPal. Após alguns anos em uma rodada de capital na Bolsa de Valores americana, eles captaram US$245 milhões para serem investidos na expansão global da fintech.

Klarna

A Klarna Bank é uma fintech fundada em 2005. Ela traz um sistema de pagamentos para celular e computadores, possibilitando que os clientes parcele suas compras. Eles também possibilitam pagamentos pós-compra, pagamentos para lojas e também pagamentos diretos.

Hoje em dia a fintech chega a processar 800 mil pagamentos por dia, e já é usada por mais de 60 milhões de pessoas.

Além disso, a empresa possui US$ 2,5 bilhões em valuation e já levantou US$ 636 milhões.

Kraken

A Kraken é uma das maiores fintechs americanas de exchanges de Bitcoins. Fundada por Jesse Powell, a empresa cresceu rapidamente e em pouco tempo já se espalhou por todo o mundo. Atualmente está disponível em 190 países, incluindo o Brasil.

Na plataforma é possível comprar e vender criptomoedas online, tudo com taxas baixas, variedade de opções para depósitos e muita segurança.

Chime

A Chime também é uma fintech americana que popularizou-se. Fundada em 2013 por Chris Britt e Ryan King, eles começaram a oferecer uma alternativa aos bancos tradicionais, oferecendo serviços bancários móveis gratuitos.

A fintech não possui agência física e não cobra taxas, como mensalidade, serviço mensal, saldo mínimo, cheque especial e outras tarifas. Eles possuem parceria com bancos regionais, dando ao consumidor boas opções e com custo baixo.

Plaid

A Plaid é uma fintech que está focada em melhorar a experiência do consumidor, oferecendo uma plataforma fácil e simples de ser utilizada.

A empresa oferece o financiamento digital facilitado, permitindo que o cliente tenha acesso a mais de 11.000 instituições financeiras, além de mais de 5.000 serviços financeiros digitais.

Robinhood Markets

A Robinhood Markets é uma das maiores fintechs americanas mais famosas. Fundada em 2013, ela já alcançou o valor de US$5,6 bilhões. Tudo isso com um objetivo simples: proporcionar aos clientes uma maneira fácil de investir na Bolsa de Valores, sem pagar taxas de transação.

Atualmente a fintech tem pelo menos 13 milhões de usuários, e já levantou US$ 526 milhões em investimentos. Além de ser avaliada em US$ 1,3 bilhão.

Brex

Você sabia que a Brex, que é uma das maiores fintechs americanas, foi fundada por dois brasileiros? Criada em 2017 por Henrique Dubugras e Pedro Franceschi, ela começou a disponibilizar cartões de crédito para startups que não eram atendidas por bancos tradicionais, pela falta de histórico empresarial.

O sucesso foi tanto que atualmente a fintech oferece uma plataforma de gestão financeira para negócios de todos os tamanhos.

Nem a pandemia foi capaz de pará-los, no primeiro trimestre de 2021 eles tiveram um aumento de 80% em sua carteira de clientes. No mesmo ano foi avaliada em US$ 1 bilhão.

Carta

A Carta é uma fintech americana fundada em 2012 com o intuito de ajudar empresas, investidores, advogados, membros do conselho de administração e funcionários a monitorar a propriedade de ativos.

A fintech oferece serviços relacionados à gestão de equity e também funcionalidades relacionadas à gestão de patrimônio de seus clientes, como o 409A valuations, um sistema que auxilia a empresa a determinar o valor de mercado das ações.

Credit Karma

A Credit Karma se tornou uma das maiores fintechs americanas por oferecer aos clientes um simples serviço, visualizar o histórico de créditos. Tudo isso de graça e na frequência que a pessoa quiser.

Com esses dados, o próprio site recomenda novas oportunidades de crédito, empréstimos, seguro de automóveis e pode até ajudar a contestar erros de relatório de crédito.

Fundada em 2007, a fintech já recebeu US$ 868 milhões em investimentos, e hoje possui o valuation de US$ 4 bilhões.

Square

A Square  é uma fintech que traz soluções de pagamentos para empresas de pequeno porte, como leitores de cartão de crédito e ferramentas para os lojistas venderem seus produtos online.

Fundada em 2009 por Jack Dorsey (cofundador do Twitter) e Jim McKelvey, a fintech está em ascensão. No segundo trimestre de 2021, chegou a faturar US$ 1,14 bilhão, 91% a mais do que no mesmo período de 2020.

Além disso, a fintech é dona do Cash App, um aplicativo que possibilita a transferência de dinheiro.

SoFi

A SoFi foi fundada em 2011 por Mike Cagney, Dan Macklin, James Finnigan e Ian Brady, com o objetivo de oferecer linhas de crédito aos seus clientes, focando nos estudantes. Mas como o crescimento foi tanto, eles passaram a oferecer outros serviços, para garantir aos investidores mais segurança e credibilidade, além de proporcionar o aumento de crédito.

A fintech apresentou ser tão sólida e confiável, que foi a primeira a receber uma classificação de crédito da Moody’s de AAA.

Ripple

A Ripple é uma fintech americana fundada em 2011 que conecta bancos, provedores de pagamento, troca de ativos digitais e empresas através de seu sistema, fornecendo uma experiência para o usuário enviar e fazer transações com seu dinheiro no mundo todo.

Eles possuem uma moeda nativa, que é a XRP, e diferente de outros criptoativos, sua plataforma suporta em sua rede outros tokens que podem representar moedas tradicionais ou outros bens.

Desde seu início, já foram criados 100 bilhões de XRP, atualmente cerca de 43 bilhões de XRP em circulação.

Coinbase

A Coinbase é uma das maiores fintechs americanas. Fundada em 2012 por Brian Armstrong e Fred Ehrsam, ela foi a primeira fintech de exchange a se tornar um unicórnio, ou seja, ser avaliada em mais de 1 bilhão de dólares.

A empresa oferece um mercado promissor de criptomoedas, permitindo que os usuários façam negociações com as principais, como o Bitcoin e o Ethereum.

Em 2017 o aplicativo chegou na primeira posição de downloads e á trocou mais de US $ 150 bilhões em várias formas de moeda digital, incluindo Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum e Litecoin.

Como as maiores fintechs americanas estão se desenvolvendo no mercado

Como vimos acima, todas as maiores fintechs americanas possuem um faturamento alto e já receberam e recebem ótimos investimentos.

Tudo isso se deu a elementos externos que ajudam a potencializar esse nicho e fazer com que elas batam de frente com os outros players do mercado. Como:

  • Tecnologia avançada;
  • Regulação adequada;
  • Empenho dos consumidores em começar a valorizar soluções desse tipo.

Toda essa tecnologia e avanço, fez com que os bancos tradicionais começassem a repensar na sua forma de trabalho, tornando-se comum eles começarem a investir na digitalização dos serviços e parcerias com fintechs.

Além disso, uma pesquisa trouxe que o número de investimentos em fintechs ao redor do mundo inteiro continua crescendo. Em 2019 chegou a atingir  US$ 77,1 bilhões.

 

As maiores fintechs americanas não param de crescer. Gostou de saber um pouco sobre suas histórias? Continue acessando o portal Fintechs.com.br para encontrar conteúdos como esse!

Advertisement
Click to comment