Connect with us

Bancos Digitais

Bancos digitais podem acirrar a disputa se o Original não segurar a onda.

Published

on

Os escândalos envolvendo o grupo JBS na Lava-Jato chegaram enfim, ao ambiente fintech.

A notícia que o Banco Original chegou a R$144 milhões de prejuízo no primeiro trimestre do ano, assustou. Não pelo número em si, mas por conta do momento atual da empresa, que se vê num grande desafio de imagem por conta do envolvimento direto no maior processo de corrupção do país. O grupo J&F, dono do banco, cogita inclusive vender a operação – segundo especulações de vários veículos. Em diversas matérias, o Santander é apontado como principal nome para essa aquisição. Além do envolvimento governamental na fundação do banco, o momento não é bom.

Se isso acontecer (da venda da operação), teremos o fim do maior banco digital do país. Mas tem bastante gente querendo aproveitar o momento.

Bancos digitais que vão aproveitar o momento

Neon

O Neon já tem uma posição formada no mercado. Com uma comunicação jovem e direcionada, pode colocar força para atrair clientes que não se apegam a marcas e conceitos tradicionais. O  Neon tem cara que vai conseguir assumir uma liderança, se a operação do Original balançar.

Nubank

A NuConta vai vir com tudo! Depois de adquirirem milhões de clientes através do seu cartão de crédito, a maior fintech brasileira vai ir com firmeza na abertura de contas digitais. Vamos aguardar.

Banky

Especialistas aguardam o lançamento da Banky, uma conta digital de pagamento focada no micro empreendedor e nos profissionais freelancers. Vem coisa boa por aí.

Inter

O antigo Intermedium (agora Banco Inter) também vem se comunicando e fazendo um trabalho eficaz na hora de vender suas soluções. Já vem fazendo presença inclusive, fora de Minas Gerais, local de fundação.

PjBank

O PjBank é uma iniciativa da Superlogica, empresa que desenvolveu um software de gestão e agora oferece um banco digital para empresas. Esse é inclusive um bom movimento para bancos digitais: atender empreendedores.

Esse três exemplos são a ponta do iceberg. Nubank por exemplo, se virar a chave da noite para o dia, se tornando um banco digital, lançará por aqui, aquilo que os livros de empreendedorismo citam: “Startups can kill”!

De fato, se o Original for vendido, perderá sua essência digital.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bancos Digitais

Banco Inter divulga resultados. Corpo de banco, alma de fintech.

Published

on

banco inter

O Banco Inter acaba de divulgar os resultados de 2018.

O Inter é um dos 100% digitais do país e depois do IPO, a expectativa era grande para ver o desempenho da empresa que tem rosto e corpinho de banco, mas alma de fintech.

Selecionamos aqui os principais indicadores divulgados:

  • Lucro líquido de R$69,8 milhões (aumento de 38% referente a 2017);
  • 1,45 milhão de contas digitais, quase quadruplicou o número de 2017;
  • Estão abrindo 7,7 mil novas contas por dia útil;
  • 115 mil clientes investidores;
  • Receita com serviços: R$99 milhões.

“2018 foi um ano de crescimento, em que conseguimos aprimorar a experiência do usuário e lançar novas ofertas de produtos”, diz João Vitor Menin, CEO do Banco Inter.

Acompanhe os resultados aqui.

Continue Reading

Bancos Digitais

O banco do PagSeguro

Published

on

<

O BACEN publicou anteontem (16/01/2019) a aprovação:

“145622 – BBN – Banco Brasileiro de Negócios S.A. (CNPJ 10.264.663). Assunto: transferência do controle societário
para Luis Frias (CPF 033.460.278-56), com efeitos a partir de 4.1.2019 (Contrato de Compra e Venda de
18.10.2018). Data: 13.12.2018.”

Os documentos do IPO mostravam um caminho claro do PagSeguro para bancarizar seus próprios clientes, especialmente no foco das PME´s, que vão poder receber, pedir empréstimo com poucos cliques.

Faz todo sentido para estratégia e para o cliente target da empresa.

Vimos no blog do Edson Santos.

Continue Reading

Bancos Digitais

Fintech Monzo transforma 33 mil clientes em sócios da empresa.

Published

on

monzo fintech

A fintech londrina Monzo, arrecadou 20 milhões de libras via crowdfunding. Cerca de R$88 milhões.

36.006 fanáticos pelo cartão da empresa, participaram da campanha Invest, feita no seu próprio site. A campanha durou um pouco mais de 2 dias. A empresa, que agora é avaliada em mais de U$1 bilhão, pretende usar os fundos para continuar a expandir na aquisição de clientes através do seu app, continuar desenvolvendo novos recursos e melhorar o atendimento ao cliente.

Tom Blomfield, o CEO Monzo, declarou junto com a equipe que a campanha surpreendeu a empresa:

“Estamos felizes em dizer que 36.006 pessoas investiram £ 20.000.000 na Monzo, em apenas 2 dias, 2 horas e 45 minutos! Estamos felizes que muitos de vocês puderam se envolver e participar do banco que você está nos ajudando a construir. Nossa comunidade desempenhou um papel essencial em tornar o Monzo o que é hoje, e seu apoio e feedback estão se tornando ainda mais cruciais à medida que crescemos.

Então, obrigado aos nossos clientes, aos nossos investidores leais e aos nossos novos – estamos encantados com o seu apoio e tão empolgados com o que faremos juntos”.

Sobre a Monzo

A Monzo é um banco digital da nova geração que permite que os clientes usem um cartão de crédito/débito para administrar dinheiro e recursos, como contas conjuntas. Além disso, focam em abertura de contas para pessoas de até 16 anos e em “vaquinhas” de pequenos grupos. A empresa possui atualmente uma equipe de mais de 300 pessoas e mais de 1 milhão de clientes.

A Monzo provou que além de clientes, tem fanáticos pela marca.

Continue Reading

featured