Connect with us
startup pagamentos startup pagamentos

Meios de Pagamento

[Tendências Pagamento 2016] – Plataformas de pagamento e focadas em verticais

Published

on

Nada mais simples e direto, do que atacar verticais e ter foco em nichos e mercado específicos. Olhe para cases como Ebanx (que atende grandes empresas estrangeiras vindo para o Brasil), plataformas de subscription billing como Vindi e Smartbill, que focam no negócio de assinaturas e serviços, antifraudes como Konduto, que vão além da análise da transação e o case da Concil, que resolve um baita problema, que é o caso de conciliação de cartões. Quem for bom no seu mercado será diferenciado dos demais.

Agora o negócio mudou de mãos: “hackers (do bem) e programadores, é que mandam no mercado.” The Guardian

Meio de pagamento, realmente já teve o seu momento “commoditie”. Carregar uma transação, processar pagamentos e fazer análises de fraudes, estava nas mãos de empresas provedoras de pagamento, exclusivamente. Não mais. Em tempos de Visanet e Redecard, navegando sozinhas em todo ambiente do comércio, era simples entender o mercado. 15 anos depois, o “ecossistema” mudou, e para melhor. Só no mercado de adquirentes, o balanço foi muito positivo: o mercado abriu, vieram estrangeiras, nacionais e ainda pode vir muito mais nomes conhecidos (caso do Pagseguro, que provavelmente ponha as mangas de fora). E agora os novos empreendedores não são mais financistas ou administradores, são na sua maioria: jovens programadores ávidos por inovação. Alguns deles, hackers.

Em outros braços da cadeia, fornecedores como softwares de PDV, empresas fabricantes de Hardware, de segurança e até novos agentes do mercado de pagamentos, vieram à tona. Os subadquirentes (são 45 que se intitulam assim, e que foram mapeados por nós) já brigam com outros agentes como bancos e as próprias adquirentes.

Os especialistas

Assim como o Stripe (americano), algumas “novas caras” surgem para potencializar e estancar o sangramento das finanças no país. Plataformas que não se limitam a fazer transações ( e que vão no detalhe), potencializam as vendas de empresas e que garantem o recebimento das vendas, são algumas das soluções, que hoje, são indispensáveis para alguns negócios. A Konduto, novidade interessante para controle de antifraude, abriu um parêntese grande em análise de transações. Fundada em 2013, a empresa é uma das poucas no mercado (e fora dele) que consegue usar de fato, inteligência artificial. Tem cara de empresa do Vale do Silício…

pagamento online

Nomes como Vindi, Smartbill (ambas de São Paulo) e o aplicativo Asaas (de Santa Catarina) são grandes nomes para o motor de empresas com faturamento recorrente aplicados a pagamento. A Vindi, que já chegou aos milhares de clientes com a plataforma robusta de pagamentos, o Smartbill que já navega as grandes corporações e o Asaas (com foco em profissionais liberais e autônomos), são as três empresas que cada uma no seu “target”, movimentam o mercado bilionário de serviços no país. Todas as três com dezenas e centenas de funcionalidades que vão além de transações financeiras.

A Concil então, nem se fala. Quanto tempo vai demorar para que médias e pequenas empresas acordem para o negócio “conciliação”. Com os pilares de cartões, contábil e financeiro, a Concil faz de ponta a ponta, um serviço bem difícil de se completar: o de garantir que o dinheiro recebido de cartões e bancos, foi completo. Por incrível que pareça, erros de processamento, chargebacks e outros problemas, podem ser invisíveis para a maioria das empresas.

Não pára por aí: centenas de soluções pingam mensalmente (inclusive por aqui no portal), enviadas através de releases e pedindo análise de produto. São todas elas, procurando lacunas no ambiente de meios de pagamento em geral: e-commerce, serviços, indústria, PDVs, mobile app, gerenciadores financeiros, softwares e ideias para mercados, que ainda não foram criados.

Já temos hoje no Brasil plataformas de pagamento capazes de prever a venda, aumentar receitas e mudar o que havia sido feito, de forma bem profissional. Ainda bem.

Além das citadas, fique de olho grudado em: PopRecarga, Paymeapp, Rede Saque e PagueAttar e CloudWalk.

 

O ponto de encontro das fintechs e revolução financeira no país.