Connect with us
open finance open finance

Bancos

O que é Open Finance e como o mercado financeiro vai mudar

Published

on

Você está por dentro da tendência do Open Finance? Esse conceito surge como uma espécie de ampliação do Open Banking – incluindo mais instituições financeiras nesse sistema.

No Brasil, o movimento do Open Finance é incentivado pelo Banco Central. Em maio de 2021, o Bacen anunciou que o atual modelo de negócio do Open Banking deve ser substituído pelo Open Finance – atuando como uma expansão do modelo original.

Na prática, o Open Finance coloca mais instituições a bordo do sistema – indo além dos bancos e fintechs. A ideia é incluir empresas como corretoras, companhias de câmbio, fundos de previdência, entre outras.

Quer entender melhor o que é Open Finance e os impactos dessa tendência? Então confira logo a seguir.

O que é Open Finance?

Em termos simples, o Open Finance é a próxima etapa na jornada do Open Banking.

Dados financeiros como poupanças, pensões, seguro e crédito ao consumidor – basicamente toda a sua pegada financeira – podem ser abertos para APIs de terceiros confiáveis, se você concordar.

O Open Banking já permite que sites e aplicativos regulamentados acessem dados de transações de contas bancárias e serviços de pagamento para que você possa mover, gerenciar e fazer mais com seu dinheiro. Mas o Open Finance vai um passo além disso.

“Os” do Open Finance

Para compreender melhor o conceito de Open Finance, podemos analisar os “4 Os”: Open Products, Open Processes, Open Innovation e Open Assets.

  • Open Products (Produtos abertos). Os Open Products permitem que um banco aumentar e complementar suas ofertas atuais, incluindo produtos (financeiros e não financeiros) de parceiros para fornecer escolha e personalização aos clientes.
  • Open Processes (Processos abertos). Os Open Processes bancários podem ser melhorados significativamente, permitindo o compartilhamento de dados e recursos entre um banco e empresas digitais.
  • Open Innovation (Inovação aberta). A Open Innovation é um termo usado para promover uma mentalidade da era digital em direção à inovação que vai contra o sigilo e a mentalidade de isolamento dos laboratórios de pesquisa corporativos tradicionais. Os bancos podem criar uma cultura de inovação colaborativa com startups, oferecendo-lhes suporte em termos de infraestrutura, dados operacionais, lançamentos, etc.
  • Open Assets (Ativos abertos). No mundo digital, a forma como os bancos podem criar e compartilhar ativos digitais definirá o futuro dos bancos, pois permitirá que os bancos se integrem a temas emergentes sem correr os riscos indevidos. Banco como serviço, Pagamentos como serviço, Conformidade como serviço, etc. são algumas das rotas que estão permitindo aos bancos desbloquear seus ativos para a criação de valor colaborativo.

Importância dessa tendência

O Open Finance gera impactos para consumidores e empresas da seguinte forma:

  • Acesso a uma gama mais ampla de produtos / serviços financeiros
  • Maior controle sobre seus dados
  • Otimização do envolvimento com finanças e gerar melhores decisões financeiras
  • Melhoria da saúde financeira impulsionada pela inovação e competição de mercado

Uma vez implementado, o Open Finance permitirá, por exemplo, o desenvolvimento de painéis financeiros, reunindo dados do cliente – como investimentos, economias e fluxo de caixa – tudo em um só lugar.

Ao compartilhar dados financeiros com terceiros de confiança, os clientes podem receber produtos e serviços personalizados que representam um negócio melhor.

Trocas e renovações automatizadas combinadas com serviços de consultoria e suporte financeiro também estão no topo da agenda do Open Finance, juntamente com avaliações precisas de capacidade de crédito.

A iniciativa de Open Finance promovida pelo Bacen está de acordo com um movimento que vem crescendo, em que consumidores e empresas buscam direitos legais para controlar os seus dados financeiros e o poder de compartilhá-los com companhias de sua escolha.

A partir disso, diversas organizações poderão oferecer produtos financeiros aos consumidores – desde que atuem conforme as regras determinadas pelo Bacen. Com isso, diversas áreas do mercado financeiro poderão oferecer serviços que permitam experiências inovadoras aos consumidores.

Qual é a diferença entre Open Banking e Open Finance?

Uma grande dúvida que surge quando falamos sobre Open Finance é a diferenciação do Open Banking. Para solucionar essa questão, vamos analisar melhor ambos conceitos:

  • Open Banking. O Open Banking abre a possibilidade para que os clientes de produtos e serviços financeiros permitam o compartilhamento de seus dados entre bancos e fintechs autorizados pelo Banco Central.
  • Open Finance. Por outro lado, o Open Finance representa uma evolução natural do Open Banking. Além de modernizar a relação entre bancos e fintechs, o Open Finance promove mais diversidade – abarcando todos os setores financeiros do país. Com isso, as instituições financeiras menos tradicionais (como plataformas de investimento, corretoras de seguro, fundos de pensão e previdência) podem também desfrutar da possibilidade de compartilhamento de dados de seus clientes. E isso gera um salto nas possibilidades do sistema financeiro brasileiro.

Como o Open Finance pode beneficiar os consumidores?

Veja como o Open Finance beneficia os consumidores:

  • Soluções personalizadas. Com uma troca aberta de informações, as fintechs podem avaliar melhor a situação financeira atual de um consumidor, analisando seus dados de crédito e renda. Isso permite que as empresas ofereçam soluções hiperpersonalizadas sob medida para as necessidades financeiras dos consumidores. Crucialmente, isso concede aos consumidores acesso a produtos financeiros aos quais, sem o Open Finance, eles não teriam acesso anteriormente.
  • Preços mais justos. Com o aumento da transparência entre os produtos financeiros, como prêmios de seguros e empréstimos de crédito, é mais fácil para os consumidores comparar preços e características de produtos semelhantes. Isso os ajudará a obter mais valor de seus fornecedores e a combater cenários em que não sabem que estão pagando caro por um produto ruim.
  • Inclusão financeira. É possível aumentar a inclusão financeira, incentivando uma melhor gestão financeira. Os consumidores podem ter acesso total à sua pegada financeira digital, obtendo um melhor entendimento de sua posição financeira geral – desde hábitos de consumo até pagamentos mensais de prêmios de seguro. Por estar constantemente atento às suas finanças digitais, os consumidores podem melhorar seu bem-estar financeiro, acelerando a inclusão financeira.

Exemplo do impacto para consumidores

Um exemplo de como o Open Finance pode beneficiar indivíduos comuns pode ser encontrado na economia de freelancers. Com os trabalhadores freelancers representando 56% da força de trabalho da Indonésia, eles representam uma porção considerável da força de trabalho local.

No entanto, a CB Insights relatou que esses trabalhadores sem um fluxo de renda regular muitas vezes enfrentam dificuldades para obter aprovações de empréstimos ou outros serviços bancários por meio de instituições financeiras tradicionais, como bancos.

Anteriormente, esses dados não eram trocados com instituições financeiras externas, impedindo-as de avaliar a adequação dos trabalhadores freelancers para empréstimos e outros produtos financeiros.

No entanto, com o “OF”, os dados financeiros desses profissionais são agregados com segurança de diferentes plataformas financeiras para ajudar as empresas a identificar melhor os trabalhadores freelancers e fornecer a eles produtos financeiros adequados.

Benefícios do Open Finance para as fintechs

Entenda melhor como o Open Finance beneficia as fintechs:

  • Facilidade no acesso às informações. Com o Open Finance facilitando a troca aberta de dados financeiros, as empresas podem oferecer um processo de inscrição pré-preenchido individualizado para cada cliente em potencial. Isso reduz o atrito necessário para integrar e fornece uma experiência aprimorada do cliente.
  • Redução de riscos. As fintechs podem minimizar custos e riscos operacionais. Acessando dados financeiros como nível de renda e histórico de crédito dos usuários, as empresas podem entender melhor a posição financeira de seus clientes e gerar melhores pontuações de crédito. Isso resulta em aprovações mais altas e menos inadimplências, ajudando as empresas a reduzir custos e aumentar a receita.
  • Acesso a dados de qualidade. As empresas podem alavancar maior acesso aos dados do usuário para desenvolver processos orientados por dados e oferecer soluções personalizadas para os consumidores. Por exemplo, as empresas insurtech podem fazer uso do Open Finance para obter visibilidade dos dados financeiros históricos dos clientes, permitindo-lhes gerar um perfil de risco mais preciso e oferecer prêmios ajustados ao risco apropriados.
  • Remoção de intermediários. O Open Finance permite a remoção de intermediários, uma vez que vários serviços, incluindo pagamentos e reclamações, estão perfeitamente integrados à plataforma, resultando em melhor engajamento e menos perdas.

Você já sabia o que é Open Finance? Quer continuar por dentro das novas tendências do mercado financeiro? Então acompanhe o fintechs.com.br!

Advertisement
Click to comment